Quinta-Feira, 23 de Outubro de 2014.

Colocar o site como página inicial
O Blog do Suinocultor

Manejo

03/09/07 - 09:10 - Fonte: Gazeta Digital

Nova tecnologia na castração de suínos

          A castração de suínos é uma prática de manejo necessária para controlar o forte odor na hora do cozimento da carne e é uma medida obrigatória no Brasil. Entretanto, machos castrados cirurgicamente crescem mais lentamente, consomem mais ração, apresentam carcaças com mais gordura e têm maior índice de mortalidade na maternidade.

          Para solucionar ou amenizar este problema a Pfizer Saúde Animal lançou uma tecnologia inovadora que produz o efeito da castração sem precisar de cirurgia. Acaba de chegar no mercado a Vivax, uma vacina que atua no sistema imunológico do suíno, controlando as substâncias envolvidas no odor de macho inteiro. O gerente da Unidade de Negócios Suínos e Aves da empresa, Angelo Melo, conta que a vacina dispensa a castração cirúrgica.

          Na opinião dele, isso traz uma série de benefícios ao rebanho e melhora substancialmente a produtividade. 'O produto atua no sistema imunológico dos suínos da mesma forma que as vacinas convencionais, mas em vez de prevenir doenças, bloqueia a ação das substâncias envolvidas na ocorrência de odor de macho inteiro', explica. A vacina é injetável e deve ser administrada por via subcutânea na base do pescoço, imediatamente atrás da orelha.

          Os suínos machos inteiros devem receber duas doses administradas em intervalo de quatro semanas. A primeira prepara o sistema imunológico do suíno e não altera a função testicular. A segunda dose estimula uma resposta de anticorpos, os quais bloqueiam a ação da substância responsável pela função testicular. O resultado é uma castração imunológica ou imunocastração temporária, que perdura por até oito semanas após a segunda dose.

          Melo salienta que a carne de suínos castrados com esta vacina está sendo consumida em países como Austrália e Nova Zelândia desde 1998. Mais recentemente, o produto começou a ser comercializado no México, África do Sul e Filipinas. Está registrado no Chile, Coréia do Sul, Costa Rica, Guatemala e Suíça e em processo de registro na Europa, Estados Unidos, Japão e em outros países. 'Além disso, o produto proporciona a melhora do índice de conversão alimentar, melhor ganho de peso diário e maior relação carne magra-gordura na carcaça', garante Melo.

          A tecnologia Vivax foi testada pelo Centro de Tecnologia de Carnes do Instituto de Tecnologia de Alimentos (CTC/ITAL) e possui registro concedido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Mais informações: www.pfizersaudeanimal.com.br  ou 0800 011 19 19.

Voltar |

Todos os direitos Reservados - Telefone: 55 3512-6506